A campeã do ensino superior

Informações recentes no universo dos bolseiros. Notícias da imprensa sobre ciência são também bem-vindas.
Responder
Torgal
cientista sempre presente
cientista sempre presente
Mensagens: 1274
Registado: quarta dez 09, 2015 8:17 am
University/ Institute: Minho

A campeã do ensino superior

Mensagem por Torgal » quarta jun 05, 2019 6:20 am

Relativamente à instituição campeã dos docentes Excelentes, o ISCTE, é pertinente revisitar o seu posicionamento cientifico relativamente as outras instituições do ensino superior. Em termos do rácio publicações indexadas/docentes ETI e em termos do rácio artigos highly cited/docentes ETI

-Rácio publicações Scopus/docentes ETI - Nono lugar
viewtopic.php?f=8&t=8428

-Rácio artigos highly cited/docentes ETI - Décimo primeiro lugar, mas sem contabilizar o Pol de Bragança cujo rácio é mais do dobro do rácio do ISCTE

O ISCTE convém recordar tem agora como Reitora, uma professora associada cuja última avaliação de desempenho antes de ser eleita, referente ao período 2014-2016, recebeu a classificação de "Inadequado" ! Na altura ela alegou em sua defesa que não teve tempo para inserir toda a sua vasta produção científica na plataforma devido a problemas de saúde. É por isso pertinente revisitar a ficha Scopus da mesma que dá conta de apenas 5 (cinco) publicações ao longo de toda a sua carreira académica, sendo que no período considerado apresenta na base Scopus uma única e bastante curta publicação de título "A constituição e as políticas públicas em Portugal" publicada numa revista do próprio ISCTE, Sociologia: Problemas e Práticas (indexada no quartil Q4 do Scimago), artigo esse que se pode ler aqui https://journals.openedition.org/spp/2578 tendo sido escrito em conjunto com outro docente daquela casa de nome Pedro Adão e Silva (que desde que se doutorou em 2009 produziu 6 publicações indexadas Scopus) e que tem coluna reservada (leia-se avença) no Expresso. De certeza absoluta que não são artigos destes que irão criar elevado impacto na área da Sociologia nem muito menos trazer citações para o ISCTE e para Portugal, como o testemunham as 60 citações recolhidas por todas as publicações Scopus destes dois professores do ISCTE. E isto quando de certeza absoluta há neste país investigadores desempregados na área da sociologia com uma obra científica de muito maior impacto.




_______________________________________________________________________
De: F. Pacheco Torgal
Enviado: 4 de Junho de 2019 7:57
Assunto: Director do Público__A universidade pasto do amiguismo e couto do nepotismo

https://www.publico.pt/2019/06/04/socie ... me-1875179

"É oficial: as universidades portuguesas são...as que têm os melhores quadros docentes do mundo...Em vez de apostarem numa cultura de exigência, de mérito e de uma procura permanente de melhoria do serviço que prestam, uma grande parte das universidades parece dedicada a afagar o seu ego e a privilegiar a sua corte...pasto do amiguismo e couto do nepotismo movido pelos favores."




_____________________________________________________________________
De: F. Pacheco Torgal
Enviado: 4 de Junho de 2019 6:32
Assunto: European Commission__The Research Excellence Index

http://publications.jrc.ec.europa.eu/re ... e_2018.pdf

Os resultados no relatório acima mostram que de acordo com a Comissão Europeia, apesar de algumas universidades Portuguesas se auto-avaliarem como transpirando excelência por todos os poros, (emails abaixo) Portugal no domínio da "research excellence" está quase como estava a Irlanda em 2010 ou quase como estava a média europeia em 2010.

A este ritmo quantos anos faltarão para que este país, que há poucos anos foi campeão europeu da bola, consiga sequer atingir a média europeia ? E será que não é necessário contratarmos alguns craques da ciência, um prémio Nobel ou uma dúzia de HCRs para sairmos deste marasmo ? Ou será que a desculpa é a de não haver dinheiro ?

Mas como aceitar tal desculpa se só na Web Summit e nos protocolos com o MIT e outras universidades Americanas se gastam mais de uma centena de milhões de euros ? Mas como aceitar tal desculpa se a Federação Portuguesa de Futebol que registe-se é apoiada pelo Orçamento de Estado pode contratar um treinador por um salário muito superior ao de um prémio Nobel ? Ou será que o poder daqueles que na academia receiam que alguém de fora lhes possa lá ir fazer sombra (Catedrático jubilado do IST Jorge Calado dixit) é superior ao interesse público.

Responder