Registar    Entrar    Fórum    Pesquisar    FAQ     RSS

Índice do Fórum » Geral » Novidades, Notícias e Avisos





Criar Novo Tópico Responder a este Tópico  [ 1 mensagem ] 
Autor Mensagem
 Assunto da Mensagem: Portugal pró espaço: Rápidamente e em força
 Mensagem Enviado: Quinta Jul 27, 2017 7:43 pm 
Offline
investigador em formação
investigador em formação

Registado: Quarta Dez 09, 2015 8:17 am
Mensagens: 71
Universidade/ Instituto: Minho
A FCT tornou recentemente público documento que constitui a versão preliminar da estratégia de investigação e inovação espacial http://www.fct.pt/ptspace2030/docs/portugalspace2030PT.pdf Não se percebe como o é que a mesma FCT a quem faltam verbas para financiar uma política de emprego científico condigna (vide o elevado alarido que por aì vai sobre o artigo do Paulo Granjo https://www.facebook.com/notes/paulo-granjo/um-reitor-5-mentiras-e-4-fal%C3%A1cias/10154968382046359/), que não passe por uma redução significativa comparativamente aquilo que são os níveis remuneratórios previstos no estatuto da carreira de investigação, tenha fartas disponibilidades financeiras para sustentar uma estratégia, a qual segundo se lê no referido documento inclui o desenvolvimento, construção e operação de satélites ou outras infraestruturas espaciais, que obviamente não irá bastar-se com meia dúzia de tostões.

É claro que alguns podem dizer que não tenho presente que desde 2000 e por decisão do falecido Mariano Gago Portugal é membro da Agência Espacial Europeia-ESA. A esses convém relembrar que o insigne Mariano Gago tinha muitas virtudes mas nunca teve o dom da infalibilidade. Ter aquele decidido avançar para essa adesão muito antes de muitos outros países mais ricos do que nós não foi por certo a sua melhor decisão. Conforme se pode ver aqui http://www.esa.int/About_Us/Welcome_to_ESA/Funding Portugal que ainda há pouco tempo estava técnicamente falido contribuiu em 2017 com 17 milhões de euros para a ESA, a contribuição da Grécia foi 14.6 milhões e a da Hungria foi de 6.2 milhões, a própria Finlândia cujo o PIB/capita é o dobro do de Portugal contribuiu apenas com mais 12% do que Portugal. Desde que há 17 anos Portugal aderiu à ESA contribuiu com algumas centenas de milhões de euros para o seu orçamento porém o retorno desse valor parece-me bastante exíguo mas obviamente que isso se deve somente à minha miopia já bastante avançada. O próprio documento sobre a Estratégia Nacional de Investigação e Inovação para uma Especialização Inteligente refere que existe em Portugal uma industria espacial (!) a qual é constituída por dezenas de empresas, porém sobre o número de postos de trabalho que as mesmas representam ou sobre o volume de vendas das mesmas diz nada. Uma rápida pesquisa na web revela que a Associação Proespaço http://www.proespaco.pt/eng/companies.html representa mais de 90% das empresas desse ramo de actividade porém se só lá aparecem 13 associadas então é legitimo presumir que não haverá mais do que 14 no total, valor que está muito longe das dezenas referidas no documento acima. Aliás, tendo em conta que a especialização inteligente passa por concentrar recursos em áreas onde Portugal apresenta vantagens competitivas relativamente a outros países é contraditório que nela se tenha incluido uma área onde Portugal apresenta um desenvolvimento incipiente.

Na minha modesta opinião investir centenas de milhões de euros numa única área cientifica só pode entender-se se a mesma for absolutamente crucial para o nosso país (e essa opção deve ser suficientemente discutida o que não foi o caso) já outros acham que é sempre positivo_quando mais não seja para inchar o orgulho pátrio-que os países pobres e também aqueles menos pobres mas que de quando em quando estão técnicamente falidos também possam aventurar-se em agendas eivadas de elevada ambição científica (ou qualquer outra). Curiosamente há outros países cujos Governos também andam obcecados em financiar modernas tecnologias foguetórias custe o que custar, ao mesmo tempo que muitos milhões de cidadãos dos mesmos vivem na mais abjecta miséria, a Coreia do Norte é um deles. https://en.wikipedia.org/wiki/Korean_Committee_of_Space_Technology É verdade que Portugal está num patamar muito diferente da Coreia do Norte e também não é menos verdade que felizmente neste moderno país não há ninguém a viver em abjecta pobreza e porém algumas das estranhas medidas que por aqui se tomam aproximam-nos mais daquele país do que dos países do primeiro mundo. Esta é uma delas pois não se percebe de todo que se pretenda beneficiar ainda mais uma área que já foi muito beneficiada no passado e continua a sê-lo por via do financiamento nacional à ESA. Faria por isso muito mais sentido que a FCT tivesse antes apresentado uma estratégia com vista à minimização da perigosidade e dos impactos dos incêndios.


Topo 
 Perfil  
Resposta com citações  
Mostrar mensagens anteriores:  Ordenar por  
 
Criar Novo Tópico Responder a este Tópico  [ 1 mensagem ] 

Índice do Fórum » Geral » Novidades, Notícias e Avisos


Quem está ligado

Utilizadores a navegar neste fórum: Nenhum utilizador registado e 2 visitantes

 
 

 
Criar Tópicos: Proibído
Responder Tópicos: Proibído
Editar mensagens: Proibído
Apagar mensagens: Proibído
Enviar anexos: Proibído

Pesquisar por:
Ir para:  
Alojamento oferecido por David A.