Registar    Entrar    Fórum    Pesquisar    FAQ     RSS

Índice do Fórum » Geral » Novidades, Notícias e Avisos





Criar Novo Tópico Responder a este Tópico  [ 1 mensagem ] 
Autor Mensagem
 Assunto da Mensagem: Ministro M. Heitor fala dos privilégios dos investigadores
 Mensagem Enviado: Terça Maio 16, 2017 11:48 am 
Offline
investigador em formação
investigador em formação

Registado: Quarta Dez 09, 2015 8:17 am
Mensagens: 49
Universidade/ Instituto: Minho
algumas centenas de investigadores séniores que há muitos anos (alguns há quase 20 anos) passam a vida em contratos precários entregaram uma carta ao Ministro Manuel Heitor http://www.dn.pt/sociedade/interior/cientistas-pedem-ao-governo-vinculo-na-funcao-publica-8478689.html entretanto e antes mesmo de pensar de forma ponderada sobre o conteúdo dessa carta, o Ministro já respondeu à mesma. Fê-lo porém de forma muito infeliz e até insultuosa falando em privilégios. http://www.tsf.pt/sociedade/interior/ministro-diz-que-investigadores-nao-precisam-de-quadro-legal-que-os-privilegie-8478401.html está porém muito enganado o Sr. Ministro pois neste país vigora um Estado Direito e logo se houver regularização para uns terá que haver também para os outros nos termos do Artº 13 e Artº 47 CRP.

Uma coisa é porém certa há na verdade privilegiados no ensino superior mas não são aqueles que vivem de contratos precários há muitos anos, os privilegiados são aqueles que têm direito à parte de leão do orçamento da ciência, as fábricas de artigos a quem interessam massas de dóceis investigadores low cost que se limitem a fazer o que lhes manda o chefe da fábrica. Em boa verdade colocar as palavras investigadores e privilégios na mesma frase é um insulto a todos os investigadores,

Privilégios dignos desse nome são aquilo de que usufrui a nossa excelsa classe politica, onde o MCTES agora se inclui, nomeadamente a inesquecível subvenção vitalicia paga a 332 politicos http://www.esquerda.net/artigo/subvencoes-vitalicias-historia-de-um-privilegio/40840 pelos excepcionais serviços que prestaram à nação, e onde pontificam casos notáveis como este http://www.jn.pt/justica/interior/investigacao-a-duarte-lima-no-homicidio-de-rosalina-ribeiro-e-tema-de-livro-6550267.html ou este outro https://www.noticiasaominuto.com/pais/790712/armando-vara-foi-condenado-mas-continua-a-solta ambos a auferirem mais de dois mil euros mensais do erário público a título de compensação por terem feito o favor de terem estado na politica, a que se somarão depois mais 1200 euros/mês que é quanto custa cada preso ao orçamento de estado caso venham a recolher a algum estabelecimento prisional.

Privilégio é aquilo que ocorreu este mês com a nomeação de Ricardo Rodrigues, advogado e ex-deputado condenado por ter roubado gravadores a jornalistas com pena confirmada pelo Tribunal da Relação em 2013 http://videos.sapo.pt/1VqMyMGZYQd51G6AMMKI
para o Conselho Superior dos Tribunais Administrativos e Fiscais

Privilégio é aquilo que ocorreu também este mês com a escolha de António Gameiro, deputado e advogado condenado por ter ficado com 45.000 euros de um cliente
com pena confirmada pelo Tribunal da Relação em 2016 http://www.mediotejo.net/relacao-confirma-sentenca-que-condenou-antonio-gameiro-a-pagar-45-000-euros-e-agrava-juros/
para o Conselho de Fiscalização do Sistema Integrado de Informação Criminal

Ou seja os docentes dos politécnicos tiveram direito a um regime legal para efectivar todos aqueles que lá trabalhassem há pelo menos 10 anos. Ninguém utilizou para esse regime a palavra privilégio. Os docentes do secundário também tiveram no passo direito a um regime para efectivar milhares de docentes e ainda este ano irão efectivar-se 3462 e ninguem apelida de privilégio esse processo. Até os precários do estado mesmo aqueles com baixas habilitações irão ter direito a um regime próprio sem que ninguém o designe por privilégio. E porém os investigadores séniores que durante mais de 10 anos (alguns andam há 20 anos a transitar entre bolsas) já tiveram de sujeitar-se a vários concursos extremamente competitivos alguns deles com taxas de rejeição de quase 90%, esses não podem reclamar regime idêntico pois isso seria um privilégio. Desengane-se por isso o Sr. Ministro Manuel Heitor se pensa que os Investigadores FCT não intentarão acção colectiva contra o Estado Português por violação da lei caso se atreva a descriminar este grupo face a outros.


última vez editado por Torgal s Terça Maio 23, 2017 4:46 am, editado 3 vezes no total

Topo 
 Perfil  
Resposta com citações  
Mostrar mensagens anteriores:  Ordenar por  
 
Criar Novo Tópico Responder a este Tópico  [ 1 mensagem ] 

Índice do Fórum » Geral » Novidades, Notícias e Avisos


Quem está ligado

Utilizadores a navegar neste fórum: Nenhum utilizador registado e 1 visitante

 
 

 
Criar Tópicos: Proibído
Responder Tópicos: Proibído
Editar mensagens: Proibído
Apagar mensagens: Proibído
Enviar anexos: Proibído

Pesquisar por:
Ir para:  
Alojamento oferecido por David A.