permanência no estrangeiro

Coloca perguntas a qualquer dos bolseiros que por aqui passem.
Responder
Felipe
recém-chegado
recém-chegado
Mensagens: 1
Registado: sexta fev 06, 2009 5:10 pm
University/ Institute: Universidade Católica Portuguesa

permanência no estrangeiro

Mensagem por Felipe » sexta fev 06, 2009 5:21 pm

Viva a todos,

Tenho uma dúvida.

Tenho uma bolsa de doutaramento nacional, e pretendia passar um período (cerca de três meses) numa universidade no estrangeiro.

Perante tal situação, gostaria de perguntar:

O que é que a FCT me poderá financiar? Tendo em conta que o orçamento apresentado pela instituição anfitriã é bastante elevado para este período de tempo.

Qual é o valor mínimo de propinas (fees) que a FCT paga para este tipo de permanência? Para este período é me pedido cerca de 3700 euros

Qual o valor mínimo de "living expensions" e "accomodation"?


Cmpts

Felipe

Tiago H. Silva
Sócios
Sócios
Mensagens: 664
Registado: quarta fev 28, 2007 2:38 pm
University/ Institute: Universidade do Minho
Localização: Universidade do Minho

Re: permanência no estrangeiro

Mensagem por Tiago H. Silva » segunda fev 09, 2009 2:09 pm

Olá.

Segundo as FAQS de bolsas da FCT:
Que documentos preciso de apresentar para solicitar o subsídio para a realização de actividades de formação complementar noutra instituição nacional ou estrangeira?
Deve enviar uma carta a solicitá-lo, acompanhada de:
- parecer do supervisor sobre a necessidade da realização da mesma
- documento de aceitação da instituição de acolhimento onde se irá realizar a formação complementar
- indicação da data de início e da duração da formação
- estimativa discriminada de custos relativos a transporte, estadia e eventuais propinas

Qual a duração máxima para a realização de actividades de formação complementar noutra instituição nacional ou estrangeira?
A duração máxima é de 3 meses por ano de bolsa, no caso de bolsas no país.

Os cursos poderão ser financiados no âmbito da minha bolsa?
Nos termos do regulamento, a frequência de cursos não é contemplada para financiamento.
Assim, o período que pretendes passar fora só pode ser até 3 meses.
Como a FCT indica nestas FAQs, poderão financiar custos de transporte, estadia e eventuais propinas. Dependendo do montante, poderão pagar tudo ou apenas parte.
Por exemplo, relativamente a custos de transporte, dão um subsídio de viagem até 300 euros (Europa) ou 600 euros (fora da Europa). Relativamente ao valor da bolsa, devem atribuir a "equiparação" a bolseiro fora do país, em que o valor da BD é de 1710 euros (mais 730 euros do que cá). Relativamente a propinas, não faço ideia. Se a tua ida está dependente da ajuda que a FCT der (ou seja, se der pouco, não podes ir), recomendo que escrevas à FCT manifestando a intenção de fazer esse período de actividades de formação complementar (não lhe chames curso...) e fazendo a estimativa de custos, perguntando que ajuda poderiam dar. Esclarece que a tua ida está dependente da ajuda que derem e logo vês o resultado (não garanto que respondam... podes ter de insistir.) Se conseguires telefonar, tanto melhor...
Boa sorte.

Tiago

Limiano
recém-chegado
recém-chegado
Mensagens: 20
Registado: sexta dez 15, 2006 2:36 am
Localização: FCTUC

Re: permanência no estrangeiro

Mensagem por Limiano » segunda mar 02, 2009 6:05 pm

É necessário pedir expressamente a actualização do valor da bolsa nos meses em que estamos no estrangeiro? É que a mim pagaram-me exactamente o mesmo ou seja 980€.

Limiano
recém-chegado
recém-chegado
Mensagens: 20
Registado: sexta dez 15, 2006 2:36 am
Localização: FCTUC

Re: permanência no estrangeiro

Mensagem por Limiano » sexta mar 13, 2009 1:35 pm

ainda ninguém passou por esta situação???

ruisoarescosta
Direcção da ABIC
Direcção da ABIC
Mensagens: 114
Registado: quarta jan 11, 2006 4:26 pm
University/ Institute: Universidade de Lisboa / Princeton University
Contacto:

Re: permanência no estrangeiro

Mensagem por ruisoarescosta » sexta mar 13, 2009 11:33 pm

Boas noites!

Caro Limiano,

Eu tenho bolsa mista e estou no 4º ano do doutoramento, portanto já por diversas vezes fui para o estrangeiro, tendo recebido o valor da bolsa no estrangeiro. No meu caso não tem sido necessário pedir expressamente para actualizarem o valor da bolsa quando me tenho deslocado ao estrangeiro. O pagamento do valor da bolsa nacional ou no estrangeiro tem sido feito em função do que consta do plano de actividades apresentado à FCT (no primeiro ano esse pagamento automático do valor de bolsa no estrangeiro foi feito em função do que constava do planeamento do projecto de doutoramento que foi a concurso).

Agora, talvez no caso das bolsas nacionais o processo seja ligeiramente diferente e a FCT tenha que ser informada que o bolseiro vai para o estrangeiro e que, portanto, deverá pagar o valor correspondente à bolsa no estrangeiro.

Abraços e beijinhos,

rui
--
Rui Soares Costa

http://www.ruisoarescosta.tk
http://homepage.oniduo.pt/ruisc

R. Escolas Gerais, 63, 3E
1100-216 Lisboa
Portugal

phone [+351] 96 424 57 72

atavaresbarbosa
recém-chegado
recém-chegado
Mensagens: 4
Registado: quinta mai 21, 2009 7:15 pm
University/ Institute: Universidade do Minho

Re: permanência no estrangeiro

Mensagem por atavaresbarbosa » quinta mai 21, 2009 9:11 pm

olá pessoal!

Em primeiro lugar, muito obrigado por todas as informações já postadas! Já me ajudaram a esclarecer muitas dúvidas!

Devo candidatar-me à uma bolsa de doutoramento e pretendo passar períodos curtos no estrangeiro: máximo de 3 meses, provavelmente duas ou três vezes ao longo do doutoramento. Questões:

a) acho que irei candidatar-me a uma bolsa nacional ao invés de uma bolsa mista. Acham que faço bem?

b) PRINCIPAL DÚVIDA: neste caso (bolsa nacional com algum período de permanência no estrangeiro), não precisa apresentar carta de aceitação da instituição estrangeira nem indicação de co-orientador, correcto? Pelas respostas que li no fórum, fiquei com a impressão de que só preciso desses documentos se for uma bolsa mista e se passar mais de 3 meses no estrangeiro, estou certo?

c) mesmo sendo bolsa nacional, como pretendo ficar algum tempo fora, devo indicar esse período de permanência no estrangeiro, correcto (desculpem se a pergunta é parva, mas é apenas para confirmar)? Essa indicação é meramente indicativa - ou seja, há flexibilidade por parte da FCT em alterá-la - ou é vinculativa?

d) a instituição estrangeira tem de ser necessariamente uma universidade ou pode ser um Centro de Estudos/Investigação? Há necessidade desse centro estar vinculado a alguma universidade?

Desde já, muito obrigado pelas respostas!

André

anageorge
cientista regular
cientista regular
Mensagens: 78
Registado: segunda nov 27, 2006 8:04 pm
University/ Institute: UNL
Localização: Lisboa

Re: permanência no estrangeiro

Mensagem por anageorge » domingo mai 24, 2009 7:12 pm

atavaresbarbosa Escreveu:olá pessoal!

Em primeiro lugar, muito obrigado por todas as informações já postadas! Já me ajudaram a esclarecer muitas dúvidas!

Devo candidatar-me à uma bolsa de doutoramento e pretendo passar períodos curtos no estrangeiro: máximo de 3 meses, provavelmente duas ou três vezes ao longo do doutoramento. Questões:

a) acho que irei candidatar-me a uma bolsa nacional ao invés de uma bolsa mista. Acham que faço bem?

b) PRINCIPAL DÚVIDA: neste caso (bolsa nacional com algum período de permanência no estrangeiro), não precisa apresentar carta de aceitação da instituição estrangeira nem indicação de co-orientador, correcto? Pelas respostas que li no fórum, fiquei com a impressão de que só preciso desses documentos se for uma bolsa mista e se passar mais de 3 meses no estrangeiro, estou certo?

c) mesmo sendo bolsa nacional, como pretendo ficar algum tempo fora, devo indicar esse período de permanência no estrangeiro, correcto (desculpem se a pergunta é parva, mas é apenas para confirmar)? Essa indicação é meramente indicativa - ou seja, há flexibilidade por parte da FCT em alterá-la - ou é vinculativa?

d) a instituição estrangeira tem de ser necessariamente uma universidade ou pode ser um Centro de Estudos/Investigação? Há necessidade desse centro estar vinculado a alguma universidade?

Desde já, muito obrigado pelas respostas!

André
Olá, tive este ano um período de permanência no estrangeiro com bolsa mista, mas sem instituição estrangeira associada à bolsa e o que posso dizer-te é:

Em relação ao ponto b), é precisamente o contrário, ou seja: se fosse uma bolsa mista, já com uma instituição estrangeira associada à bolsa, não precisarias de carta de aceitação quando fosses para o estrangeiro, mas só precisarias de avisar a FCT de que te irias deslocar num determinado período para accionar o pagamento do valor suplementar do vencimento e deslocações.
No caso de uma permanência no âmbito de bolsa nacional, precisas de apresentar carta de aceitação da instituição estrangeira e carta do orientador (quanto a co-orientador, se te referes ao tutor estrangeiro que te acompanha naquela instituição, não é preciso).
Espero que ajude. E de qualquer forma se tiveres possibilidade telefona ou, melhor ainda, vai à Loja do Cientista, porque nessas coisas eles às vezes dão respostas contraditórias ao telefone porque não estão a ver o processo, e isso pode atrasar a tua deslocação.

atavaresbarbosa
recém-chegado
recém-chegado
Mensagens: 4
Registado: quinta mai 21, 2009 7:15 pm
University/ Institute: Universidade do Minho

Re: permanência no estrangeiro

Mensagem por atavaresbarbosa » terça mai 26, 2009 1:05 pm

Obrigado pela resposta Ana!

Se calhar a tua resposta confirma a minha ideia inicial - talvez eu não tenha sido claro ao colocar a questão e dei uma ideia diferente daquela que tinha em mente :)

A minha preocupação, neste momento, é sobretudo com a candidatura: ir atrás de um instituição estrangeira associada à bolsa e de um tutor nessa instituição, nesta altura (mesmo pensando-se no 2o ciclo de candidaturas), já é um pouco em cima. Além disso, neste momento ainda não tenho certeza para onde quero ir... por isso havia pensado em optar por uma bolsa nacional (indicando na candidatura um período de permanência no estrangeiro): assim, não precisaria de me preocupar, neste momento, em contactar uma instituição estrangeira e um orientador nessa instituição e nem de obter a aceitação neste momento...sei que teria de correr atrás disso se quisesse ir para fora com uma bolsa nacional...mas pelo menos teria mais tempo para amadurecer meu projeto, mais tranquilidade para contactar as instituições e mais tempo para decidir o local de destino.

Eu mandei um email para a FCT e eles responderam...mas foi uma resposta muito genérica...eu pensei em ligar para lá mas, ao ver os posts dos anos anteriores, desisti da ideia porque deu para perceber que as respostas variam consoante o funcionário, o dia, o humor, etc...prefiro guiar-me pelo testemunho das pessoas que passam por aqui :)

Já agora, uma pergunta: pelo que eu entendi, você está com bolsa mista, mas sem uma instituição estrangeira associada à bolsa...como você fez quando se candidatou? apenas indicou a previsão de tempo que iria ficar no estrangeiro? ou já teve de fornecer mais detalhes? É que eu havia deduzido - da leitura do regulamento e de outros posts aqui do Fórum - que a candidatura a uma bolsa mista dependia de já se ter assegurado uma instituição estrangeira associada à bolsa.

bjs

André

anageorge
cientista regular
cientista regular
Mensagens: 78
Registado: segunda nov 27, 2006 8:04 pm
University/ Institute: UNL
Localização: Lisboa

Re: permanência no estrangeiro

Mensagem por anageorge » terça mai 26, 2009 1:20 pm

atavaresbarbosa Escreveu:Obrigado pela resposta Ana!

Se calhar a tua resposta confirma a minha ideia inicial - talvez eu não tenha sido claro ao colocar a questão e dei uma ideia diferente daquela que tinha em mente :)

A minha preocupação, neste momento, é sobretudo com a candidatura: ir atrás de um instituição estrangeira associada à bolsa e de um tutor nessa instituição, nesta altura (mesmo pensando-se no 2o ciclo de candidaturas), já é um pouco em cima. Além disso, neste momento ainda não tenho certeza para onde quero ir... por isso havia pensado em optar por uma bolsa nacional (indicando na candidatura um período de permanência no estrangeiro): assim, não precisaria de me preocupar, neste momento, em contactar uma instituição estrangeira e um orientador nessa instituição e nem de obter a aceitação neste momento...sei que teria de correr atrás disso se quisesse ir para fora com uma bolsa nacional...mas pelo menos teria mais tempo para amadurecer meu projeto, mais tranquilidade para contactar as instituições e mais tempo para decidir o local de destino.

Eu mandei um email para a FCT e eles responderam...mas foi uma resposta muito genérica...eu pensei em ligar para lá mas, ao ver os posts dos anos anteriores, desisti da ideia porque deu para perceber que as respostas variam consoante o funcionário, o dia, o humor, etc...prefiro guiar-me pelo testemunho das pessoas que passam por aqui :)

Já agora, uma pergunta: pelo que eu entendi, você está com bolsa mista, mas sem uma instituição estrangeira associada à bolsa...como você fez quando se candidatou? apenas indicou a previsão de tempo que iria ficar no estrangeiro? ou já teve de fornecer mais detalhes? É que eu havia deduzido - da leitura do regulamento e de outros posts aqui do Fórum - que a candidatura a uma bolsa mista dependia de já se ter assegurado uma instituição estrangeira associada à bolsa.

bjs

André
Sim, eu também pensava que uma bolsa mista seria aquela que tivesse uma instituiç\ao estrangeira associada desde o início. Mas eu coloquei apenas na opção 'quantos meses pretende estar no estrangeiro, qual o período?' uma estadia de 3 meses, e foi-me atribuída bolsa mista, o que eu só descobri mais tarde... estranho, o que quer dizer que talvez não aconteça sempre assim.

mjtcorreia
Sócios
Sócios
Mensagens: 32
Registado: sexta jun 22, 2007 5:48 pm
University/ Institute: Universidade do Algarve, CCMAR
Localização: Faro

Re: permanência no estrangeiro

Mensagem por mjtcorreia » terça nov 10, 2009 11:28 pm

Limiano Escreveu:ainda ninguém passou por esta situação???
Eu também só recebi o valor de estadia nacional, mesmo tendo apresentado no cronograma e formulário da candidatura uma estadia de 3 meses no estrangeiro. No meu caso entreguei o parecer da entidade externa mais tarde e até hoje não obtive nenhuma resposta da parte da FCT, mesmo depois de ter enviado 7 emails (até à data) os quais nenhum foi respondido. Estou sem saber se existe algum problema com o meu processo e não tenho maneira de contactar a FCT, pois pelo telefone é virtualmente impossível (não sei se é extremo azar mas não consigo nenhum sinal a não ser o de impedido sempre que ligo para lá...) e pelos vistos via email a coisa também não está a funcionar...

Responder